22 agosto 2017

Resenha: A Menina da Neve - Eowyn Ivey


Editora: Novo Conceito
Autor(a): Eowyn Ivey
Título Original: The Snow Child
Páginas: 352
Skoob  / Comprar

Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece. 
Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca. 
Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas , eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.




" Se um velho e uma velha criassem uma menininha de neve, o que ela seria deles? Uma filha? Um fantasma?"
“ A menina da neve” foi escrito pela autora Eowyn Ivey e publicado no Brasil com uma capa linda pela Editora Novo Conceito.

Com toque sutil de mágica, que tange o fantasioso, temos a história de um casal com certa idade que se muda para a gelada Alasca, a fim de viver sua vida nessa terra inóspita e fria. Sem filhos, eles são tudo um para o outro embora a dor latente da criança perdida vibre entre eles. Numa noite, com ternura e amor, eles constroem um boneco de neve que através de um conto mágico, surge uma menina, que vive na neve e se tornará aos poucos a filha que eles sempre desejaram.
" A criança não apenas era um milagre, como também era criação deles. E ninguém cria vida e abandona."
Foram meses até que concluísse a leitura desse livro e mesmo um mês depois que terminei a leitura, ainda não sei o que senti com essa leitura.
O mais incrível, ao longo de toda a trama é a ambientação em 1920 de uma terra que nunca é palco de qualquer história, o Alasca. Existe algo de especial e diferente na neve, algo que percorre todo livro, as descrições de animais e floresta, algo bem distante da nossa realidade.


Gosto da magia que percorre a leitura, não uma magia como Harry Potter, mas aquela sutileza mágica, com descrições e explicações quase fantasiosas. Os personagens principais, Jack e Mabel nos mostram uma mistura curiosa de casamento desgastado e o amor solidificado. Um relacionamento bem mais maduro e sofrido dos que costumo ler.
Faina, a menina que vemos crescer e que é tão encantadora e que a autora faz questão ao longo da leitura de manter o tom mágico que paira sobre ela, apesar das explicações reais que recebemos.
Por ser um livro longo, denso, que faltou fluidez e leveza, aquela narrativa que te fisga, me senti bem menos conectada com a leitura do que gostaria ou esperava. Temos uma enorme janela de tempo onde compreendemos o que a autora quis propor, apesar de que a mudança em seu foco não me agrade.
“A Menina da Neve” é sem sombra de dúvidas um livro para ser degustado e que não agradará a todos. Com uma narrativa sensível e lenta, Eowyn Ivey nos guia por uma história de amor em todos os seus graus, frios ou quentes.

" Nunca sabemos o que vai acontecer, não é mesmo? A vida sempre nos joga para um lado e para o outro. É uma aventura não saber onde você acabará e como pagará sua passagem. É tudo um mistério e, se dissermos o contrário, estamos mentindo para nós mesmos. Diga-me uma coisa:você alguma vez já se sentiu tão viva assim?"

Se vocês gostaram desse post, compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário aqui embaixo, desta forma, você me ajuda a manter o blog atualizado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design