21 agosto 2017

Resenha: Espada de Vidro - Victoria Aveyard


Editora: Seguinte
Autor(a): Victoria Aveyard 
Título Original: Glass Sword
Série: A Rainha Vermelha - Livro 2
Páginas: 492
Skoob  / Comprar


Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.




"Espada de Vidro” é a tão aguardada continuação de “ A Rainha Vermelha” que tem um final que me eletrizou.

“ Espada de Vidro” é um daqueles livros que te trazem, como leitor, uma profusão de sentimentos, com uma protagonista em seus tenros 17 anos, Mare Barrow te faz ama-la e odia-la, com uma parte de mim que ainda amaria mais uma narrativa em terceira pessoa sem uma ligação tão intima aos seus pensamentos.
" E temos uma aliança - instável, forjada em sangue e traição. Estamos conectados, unidos contra Maven, contra todos que nos enganaram, contra o mundo prestes a se despedaçar."
Em inúmeros momentos, sua faceta egoísta e egocêntrica me irritava, nos primeiros capítulos e embora a minha parte racional refletia que o primeiro livro se passa em apenas um mês e logo, ninguém amadurece tão rápido, não pude deixar de me incomodar principalmente por confundir sentimentos.
" Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar."
Talvez, se ignorarmos a protagonista e nos abrirmos mais aos demais personagens poderemos ver a trama politica e compreender o quão contemporâneo é a leitura, com vingança, ódio e muita politica.
Ao longo do livro, sentia falta de um mapa já que a leitura se baseia em uma terna viagem. A leitura tem que ser realizada aos poucos já que somos apresentados a inúmeros lugares e personagens.
Um toque interessante ao livro é a humanidade, onde mesmo não tendo apreciado, gostei de ver o quanto a autora transformou alguns personagens em “ monstros” mostrando que não existe imunidade e poder frente a atrocidades que vemos e fazemos, aquele conceito de que as monstruosidades que fazemos destroem nossa humanidade.
Com aquele toque de romance, drama, ação e fantasia, Victoria Aveyard consolida o seu universo e te convence das suas propostas e te guia, com um final surpreendente ao próximo volume da série, “ Prisão do Rei”.

Se vocês gostaram desse post, compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário aqui embaixo, desta forma, você me ajuda a manter o blog atualizado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design