17 abril 2017

Resenha: Pequena Abelha - Chris Cleave


Editora: Intrínseca
Autor(a): Chris Cleave
Título Original: The Other Hand
Páginas: 272
Skoob  / Comprar

Não queremos lhe contar o que acontece nesse livro.É realmente uma história especial, e não queremos estragá-la.Ainda assim, você precisa saber algo para se interessar, por isso vamos dizer apenas o seguinte:Essa é a história de duas mulheres cujas vidas se chocam num dia fatídico. Então, uma delas precisa fazer uma escolha que envolve vida ou morte. Dois anos mais tarde, elas se reencontram. E tudo começa... Depois de ler esse livro, você vai querer comentá-lo com seus amigos. Quando o fizer, por favor, não lhes diga o que acontece. O encanto está sobretudo na maneira como a narrativa se desenrola.

“Pequena Abelha” foi escrito pelo inglês Chris Cleave e é a sua segunda obra, tendo sido publicado pela Editora Intrínseca em 2010. O livro traz como premissa principal a vida de duas mulheres, Sarah que acaba de perder seu marido sem saber exatamente o que o levou a se suicidar e a Pequena Abelha, uma jovem nigeriana que se encontra na Inglaterra de forma clandestina. Quando Pequena Abelha foge da prisão em que estava por ser imigrante ilegal e vai viver com essa mulher, Sarah, entenderemos como suas vidas estão ligadas e conectadas.
“Choramos por nós mesmos, e eu não merecia ter pena de mim mesma.”
Sarah é uma personagem apática do início ao fim, ela se vê presa em sua própria dor, levando pro fundo da sua mente o momento em que ela perdeu um dedo e que mudou a vida do seu marido para sempre. Ela ser tão letárgica, me incomodou, odeio personagens morta-viva e covardes.
Pequena Abelha é uma menina tímida, sofrida, com um passado complicado em um país que não é o seu. Ela é uma personagem que simpatizei mais, pela sua alegria, pelo seu jeito que fica numa linha fina de timidez e tenacidade, força.
“Portanto, quando digo que sou uma refugiada, você deve compreender que não existe refúgio.”
Até metade do livro, em capítulos que alternam a vida dessas duas mulheres, não sabemos o que as ligam, até que numa narração crua, direta, fria, complicada de engolir e de aceitar, Chris Cleave nos conta a ligação dessas mulheres.
“ A gente só tem uma vida pra vive, minina.”
Além de uma narrativa que não caminha e se arrasta, esse foi um dos pontos que mais me incomodou: uma descrição cruel, que machuca e dói de um ato terrível, principalmente para nós mulheres.
E então o livro flui, rumo a um final que você termina sem saber como termina. E eis a cereja para o meu desgosto com esse livro, citando ele, inclusive, no meu vídeo de piores leituras: o final. Como se termina um livro sem saber o que realmente acontece? Sem que o leitor tenha uma satisfação de finalizar essa leitura.
“Esse é o problema da felicidade –ela é toda construída em cima de uma coisa que os homens querem.”
“Pequena Abelha” foi uma daquelas leituras que não recomendarei, com sua narrativa lenta e arrastada, com seu final que não fecha e com um livro que só traz sensações ruins.

“Não podemos escolher onde começar e onde parar. Nossas histórias é que são contadoras de nós.”

5 comentários:

  1. Menina, é engraçado como as pessoas tem gostos diferentes, né? Eu adoro quando o final não é um final, quando o personagem vive além daquelas páginas. A narrativa direta e crua também me prende logo, acho que tomar esses tapas é bom pra ver o mundo.

    Quanto à personagem principal, não vou recordar porque faz tempo que li esse livro. Mas acredito que não tenha desgostado tanto assim não.

    Enfim, se todo mundo gostasse do azul, o que seria do amarelo? (É assim mesmo o ditado? xD Amarelo é uma cor tão bosta) Pena que você não curtiu o livro ;)

    Beijitos
    www.papodesereia.com.br

    ResponderExcluir
  2. Essa não é a primeira crítica negativa que leio a respeito desse livro. Também não gosto de livros que se arrastam e acabam sem dar um final para a história. Não tenho vontade de ler não...
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  3. É uma pena ver que você não gostou do livro :/ É tão ruim quando lemos algo e aquilo não nos deixa bem, sabe? Quero dizer, quando lemos e não gostamos.

    Ainda assim, a premissa da história (e a capa linda aaa) parece muito boa!

    Adorei sua resenha ♥

    ResponderExcluir
  4. O tempo todo que li a resenha fiquei pensando "meu deus, ela leu errado" kkkkk. Li esse livro faz um bom tempo, mas ele me marcou tanto que até hoje o indico. Tu é a primeira pessoa que vejo que não gostou. Não acho que a Sarah seja covarde. Ela ta sofrendo pela morte do marido, mas foi mais corajosa que ele e salvou a abelhinha. Não acho que sofrer pelo marido a caracterize como uma personagem morta viva. Enfim, achei uma história pesada sim, mas isso não me impediu de me apaixonar por ela. Espero que não entenda mal meu comentário haha to falando tudo isso com mt amor ♡

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bem? Ainda não conhecia o livro mas pela sinopse parece ser bem interessante. Conforme fui lendo a resenha, os quotes e o enredo parece aqueles livros que você não consegue deixar de lado até terminar. Gostei muito da indicação e da resenha. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design