19 outubro 2016

Resenha: Nove regras a ignorar antes de se apaixonar - Sarah MacLean

Editora: Arqueiro
Autor(a): Sarah MacLean
Título Original: Nine Rules to Break When Romancing a Rake 
Série: Os Números do Amor - Livro 1
Páginas: 384
Skoob  / Comprar

A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres.E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato.Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres.Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.


“Nove regras a ignorar antes de se apaixonar” é aquele típico romance que te ganha pelo título, além do gênero que é um dos meus favoritos.
Aqui temos uma protagonista mais velha, Calpúrnia, que viveu um momento que mudou sua vida há alguns anos atrás. Quando, apesar de sua graça, ela foi ficando de lado temporada após temporada, ela acaba se encantando pelo marquês de Ralston, embora ela acabe se decepcionando quando dez anos depois, ela está oficialmente encalhada e longe de casar.
Tendo isso em mente, ela cria uma lista de coisas que ela gostaria de fazer e que não seria nada adequado a uma dama, porém, o que ela teria a perder além da sua reputação? Ela só não esperava que em suas tentativas de beber, fumar, andar a cavalo, ela fosse ter ao seu lado, Gabriel, o homem que ela se encantou há anos atrás e que não se lembra dela.

O clichê é o ponto de partida,mas acaba ai. Calpúrnia foi uma protagonista incrível, por ser mais velha que as outras desse gênero e já ter uma visão tão mais crua da vida; ela acaba nos fazendo rir com suas ideias e constatações sobre a sociedade, além disso, apesar não seja mais plano dela se casar,mesmo com sua irmã mais jovem à beira do altar, ela acaba não perdendo a doçura e o romantismo.
O que falar do Gabriel? Um libertino, canalha, que se encontra envolvido pela ousadia, inteligência e sensibilidade da nossa protagonista. Não foi um romance daqueles rápidos –estilo miojo –mas sim um romance que evolui e cresce.
" Não podia negar o fato que lady Calpúrnia Hartwell, uma mocinha sem graça com um nome estranho-sobre quem  ele podia honestamente dizer nunca ter pensado muito-, era bastante intrigante."
Gostei da crítica sutil que a autora criou sobre o papel da mulher na sociedade daquela época, e como mesmo hoje em dia somos impedidas de fazer coisas ou sofremos preconceito.
Um romance lindo, divertido e com empoderamento feminino para tirar da cabeça de mulheres e homens que romances de época são coisas vazias. Vai ter protagonista querendo fumar charuto sim, e fazendo suas leitoras pensar no nosso papel na sociedade.

" O amor não destroí,Gabriel. Ele cria."
 

Um comentário:

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design