19 novembro 2014

Ama-se ou Ana-se: "Se soubesse antes, o que sei agora, erraria tudo exatamente igual..."


Olá, leitores!
Sumi mas apareci e com isso, trago um texto meu. Não esqueci os TOPs, eu pretendo aproveitar o feriado no Rio amanhã para isso. Aos poucos, vou regularizar o blog...

Espero que gostem, mesmo sendo um tanto triste.


Com algumas pessoas, gostaria que o amor fosse como um interruptor... Onde eu ligaria e desfrutaria de todo amor ou desligaria e esqueceria.


Amar é complicado e é simples. Poderia usar Camões e Coríntios –minhas definições favoritas –e dizer o que é o amor, mas prefiro definir o que acho que é. Amar é aceitar os defeitos. Não como um fardo, mas como um sacrifício. É aceitar que o amado erra, é perdoar, é querer que ele melhore. Amar é respeitar. É entender que uma pessoa de esquerda ou de direita podem ser amigas, que religiões diferentes podem conviver. Amar é brigar, por que não? O verdadeiro amor aceita, mas quer que a pessoa melhores, progrida. Olhe sempre para frente e nunca para trás. Amar é puxar orelha às vezes, é fazer rir quando a pessoa quer chorar. É fazer um abraço de urso parecer fraco. É mais que dizer “ Vai ficar tudo bem”, é desejar que tudo fique bem. Amar é se pensar no outro, é querer fazer o outro feliz só porque sabe que isso te fará feliz.

Eu o amei. Com todas essas inúmeras definições, que não chegam aos pés do que é de fato. Podem pensar que sou muito nova, mas sou humana, fui criada para amar e reconhecer o amor quando sinto. Eu o amei, por mais tempo que a razão dizia, mais forte do que devia. O amor não é um botão, e agora, sinto por isso.

Queria desligar todos os sentimentos, mas não as lembranças. Quero continuar sorrindo, mas não chorar quando lembrar. Quero poder continuar o amando, sem que isso atrapalhe todo o resto. Ainda o amo, e parte de mim jamais deixará de sentir isso. Mas o tempo não para, o relógio não para, e a maior parte de mim também não parará.

Ela continuará andando, desejando e se apaixonando, sem nunca deixar o que passou. Não me arrependo... “ Se soubesse antes, o que sei agora, erraria tudo exatamente igual.” Faria tudo exatamente igual. Os mesmos beijos, os mesmos abraços, as mesmas palavras, os mesmos sorrisos, as mesmas frases.

Até o mais bravo e valente guerreiro tem que saber a hora de dizer adeus... E eu estou dando o meu último adeus.

4 comentários:

  1. Lindo o texto, muito emocionante. Falando sério, amar é mesmo lembrar, pois um não fica sem o outro. Toda a história um dia vai ser lembrada, e enquanto amamos, e compartilhamos momentos, também continuamos a lembrar.

    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Pensei que tivesse sumido!! rs Ainda bem que não. =)
    Achei bem melancólico o texto, porém é sincero e verdadeiro. Me fez pensar e, assim, cheguei a conclusão de concordo muito. Às vezes precisamos aprender a dizer adeus, ainda que doa.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana!
    Seu texto é mesmo muito verdadeiro. Pra amar tem que perdoar, aceitar o outro como é. Gostei bastante.
    Um beijo <3

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu texto, aliás, amei o título, e concordo plenamente com ele.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design