17 maio 2014

Resenha: Demônios não choram - Samuel Cardeal



Autor(a): Samuel Cardeal
Páginas:
Skoob  / Comprar


O ano é 2184, a tecnologia avançou de forma veloz e assustadora. A sede do homem pelo “progresso” fez se exaurir grande parte das reservas naturais do planeta. Diante da escassez geral de alimentos e fontes de energia, a terceira grande guerra foi inevitável. Depois de um confronto sangrento de violência irracional e desenfreada, a guerra acabou, e o resultado: todos foram derrotados.
O mundo que conhecemos hoje foi reduzido a destroços de uma civilização que não mais existe. Mais de 90% da população foi dizimada. Diante da fragilidade dos sobreviventes, as criaturas que antes viviam nas trevas, escondidas e agindo enquanto todos dormiam, fizeram do planeta destruído seu domínio. Os humanos, aterrorizados, passaram a se esconder em abrigos subterrâneos e em velhas galerias de esgotos.
É nesse cenário caótico que Ezequiel, um caçador de demônios, viverá a jornada que mudara totalmente o rumo de sua vida e da de muitos outros. Um cavaleiro solitário que vaga pelas terras devastadas, caçando e eliminando os Filhos do Inferno. Mas Ezequiel não tem esperança de um futuro melhor, persegue os infernais somente por ser a única coisa que sabe fazer.
Quando o caçador, após um exorcismo, se vê obrigado a levar consigo a menina que salvou, uma onda de acontecimentos o conduz à derradeira aventura que culminará no embate final entre a Terra e o Inferno. Somente um será o vencedor, e o destino do que resta da humanidade depende da coragem de Ezequiel e dos aliados que se juntarão a ele nesta incrível e perigosa jornada. Se falharem, Terra e Inferno passaram a ser um só mundo, de eterno castigo para todas as almas humanas. 




De vez em quando é bom mudar, é bom ler outras coisas e se aventurar por novos mundos e quando eu tive a oportunidade de ler esse livro através de um “ Book Tour”, eu não me arrependi. O livro me surpreendeu e eu pude me aventurar num mundo que me era desconhecido e ser fisgada por um universo que me fará ler outros e outros livros.

O livro se passa num mundo pós apocalíptico onde Ezequiel tenta sobreviver dia após dia num Brasil que não tem água, alimento e vidas humanas. E seu trabalho? Caçar demônios e executa-los. E sua vida poderia ser algo simples, certo? Tentar sobreviver e exterminar demônios, mas o destino lhe reserva muitas coisas que ele nem esperava como ser a esperança contra o mal.


“Olhe ao seu redor, neste mundo onde você está só existe lixo, dor e destruição.”

Como eu disse ali em cima, eu não esperava muito por esse livro, mas ainda assim, eu fui fisgada. No começo me senti confusa, já que o autor intercala capítulos do presente e passado, mas à medida que o livro se desenrola você se sente cada vez mais dentro do enredo e entendendo mais e mais.

É um tanto difícil falar muito desse livro sem dar spoilers, mas eu quero que vocês desfrutem desse livro tanto como eu. O personagem que mais me interessou e me fez torcer e amar foi o Ezequiel, ele é valente apesar do seu passado difícil, durão por fora, mas com um grande coração; e ver ele se apaixona, luta e defende tudo que ele acredita foi mais que especial. Ele tem um coração tão puro e esperançoso apesar da sua teimosia e dureza, ele é astuto e sabe ser racional sem perder o coração.

O livro é recheado de personagens masculinos e isso foi bem diferente para mim, porém embora o livro seja bem masculino, ele não é demasiadamente racional, pelo contrário, o livro é uma mescla de tantas emoções, sentimentos e situações que qualquer leitor se agrada. Tem amor, amizade, ação, uma dose de drama, uma bela xícara de ficção cientifica e litros e litros de humanidade.O livro é muito humano e o autor não peca em excessos ou em falta.


“ A essência de uma pessoa é pura bondade...”

Embora a capa não seja das mais atraentes, um pecado comum aqueles que fazem publicação independente, é de grande valia que vocês deem uma chance para este autor. Sua escrita é fluida, com detalhes sem ser enfadonho e fútil em seus detalhes. Com certeza, eu desejo o prazer de ler suas próximas obras.

Demônios não choram foi uma grata surpresa e eu não esperava gostar tanto dele como gostei. O livro me abriu os olhos para um gênero desconhecido e me fez ver ainda mais que a literatura nacional vale a pena.


“Durante alguns anos ele viveu assim, se alimentando do lixo de um mundo do qual só restaram sobras.”



3 comentários:

  1. Oi Ana, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda, mas pelo visto ele é bom, gostei muito da sua resenha e me interessei pelo livro, gosto de livros do gênero, mas eu não gostei nem um pouco da capa desse livro, irei procurar mais sobre ele antes de poder ler.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, seu blog é um amor. Adorei a resenha e que bom que você se aventurou e teve uma boa experiência.

    Beijos, http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Apesar de distopia não ser um gênero q morra de amores, achei a ideia diferente e bacana, acho que daria uma chance ;)

    Andy_Mon Petit Poison
    POISON SERIES - Helix bit.ly/1nqC3QU

    ResponderExcluir

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design