09 dezembro 2013

Resenha: Os anjos não vivem distantes - Christina Nunes/Iohan


Editora: Lúmen Editorial
Autor(a): Christina Nunes
Páginas: 373
Livro cedido em parceria com a Lúmen Editorial


Evelyn, mãe de Rachel, desencarna no parto, mas tem a permissão do plano espiritual para acompanhar a filha na sua jornada terrena. Anos mais tarde, a jovem também perde o pai. Paul Ashley e Gladys a adotam e cuidam dela como uma filha. O casal tem mais dois filhos: Marshal, o mais novo, e Caroline, uma adolescente caprichosa e mimada, que compete com Rachel em todos os sentidos.
Contudo, o que mais atinge a filha legítima dos Ashley é o afeto mútuo existente entre a irmã adotiva e o jovem Stephan, professor de música das duas. Rachel e Stephan se apaixonam, mas eles nem sonham que Caroline vai pôr em prática todas as suas maldades e seu egoísmo, ajudada pela mãe, que conta com um segredo. Uma história emocionante que nos mostra como as almas vinculadas pelos laços sagrados do amor nos acompanham, estando próximas ou distantes, entrelaçando-se conosco pelo coração e pelo amor.


Este é o primeiro livro que leio desta editora que é parceira do blog.

Os anjos não vivem distantes é um livro que se passa no século XVIII, e narra a linda história de amor de Stephan e Rachel que se conhece quando crianças e vem a viver, na adolescência dela, uma linda história de amor.Seria apenas uma linda história se não fosse por sua irmã invejosa,Caroline e sua mãe odiosa, que vem a ser Gladys.E em meio a este turbilhão, será esse casal capaz de ficar juntos?

“ O nome do menino era Stephan.E desde a mais remota infância dividiam empatia espontânea e irresistível, trocando doces e agrados sempre que se avistavam...”

O livro em si, pelo enredo e personagens me agradou, mas esta será de longe uma daquelas histórias que não lembrarei no futuro.

Rachel é a típica mocinha, mas não apenas isso é necessário para descrevê-la. Ela é boa, doce e ingênua, toda aquela personagem que espero encontrar em uma mocinha desse tempo, mas ela também é verdadeira, singela, e graciosa. O seus sentimentos são tão belos que nos comovem de verdade.Além de possuir uma iluminação e uma elevação que a fazem parecer um anjo.

Stephan seria o mocinho perfeito se não fosse tão covarde e influenciável. Na maior parte do tempo, creio em seus sentimentos, mas após um tempo se torna impossível para mim, acreditar na seriedade do que ele sente.Em alguns aspectos o fato dele ser extremamente influenciável me incomodou, me irritando.

O romance entre eles é belo, daqueles que só me recordo em clássicos e essa nostalgia me fez engrenar em mais algumas páginas de leitura.

“(...) Rachel, nunca se esqueça de uma coisa: meu coração lhe pertence, e nunca será de mais ninguém.”

Outros personagens, principalmente os maus e os que foram influenciados por eles foram os que em muitos aspectos me manterão entretida no livro. Suas maldades são bem articuladas e fundamentadas, me lembrando aqueles livros de Shakespeare que amo.Esse livro me lembro demais, Macbeth, não pela história mas pelo sentimento de vingança que o rondava.

A obra, não foi feliz em sua linguagem rebuscada ao extremo, compreendo a sua existência em função do tempo em que se passa, mas está linguagem foi um aspecto maçante que se tornou cansativa e tediosa em muitos momentos a leitura. Às vezes sentia falta da ausência de detalhes e descrições mais simples. Senti falta de simplicidade na obra.

Mas por fim, sua leitura apesar de transmitir valores clichês para este gênero específico, me fez viajar por entre a Inglaterra do passado de forma ímpar. Os anjos não vivem distantes possui uma linda mensagem que jamais será esquecida, ainda mais pelo belo final.


11 comentários:

  1. Sobre o livro: Não gostei de Macbeth, então provavelmente não gostarei desse livro. até porque eu não sou fã de linguagem rebuscada. Sou muito simples e direta. Mas não vou negar, a história parece ser agradável, porém clichê. Uma garota e um garoto apaixonados, onde tem gente que tenta separá-los. A maioria dos livros tem isso.

    Enfim, gostei muito da sua resenha, bastante simples e esclarecedora. Sabe o que eu acho que falta nos seus posts de resenha: uma classificação. Tipo, uma nota, de zero a cinco. ou Ruim, Regular, Bom, Ótimo, PER-FEI-TO.

    Enfim, fica a dica. Mas parabéns pela resenha, simplesmente amei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As resenhas estão em processo de mudança, então se prepara que lá vem!
      Beijos e obrigada pela dica.!

      Excluir
  2. Gostei da resenha, esse livro parece ser legal mais não sei se faz meu tipo de leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana :)
    Bom, eu estou em impasse com esse livro. Não sei se desejo ou não.
    Digo isso porque eu amo histórias clássicas, mas quando vejo um autor(a) dando um de autor clássico na escrita, isso me incomoda. Fica muito artificial. Sei lá.
    A capa do livro é interessante e só pelo fato de você ter dito que o enredo lembrou as obras de Shakespeare, isso já foi um ponto negativo para eu não fechar completamente os meus olhos para a obra.
    Espero um dia poder ter a oportunidade de ler esse livro.
    E parabéns pela resenha, Ana. Ela está muito boa e ficara melhor quando você mudar a estrutura dela futuramente. Quero ver como vai ficar. Bjs :*

    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana :)
    Bom, eu estou em impasse com esse livro. Não sei se desejo ou não.
    Digo isso porque eu amo histórias clássicas, mas quando vejo um autor(a) dando um de autor clássico na escrita, isso me incomoda. Fica muito artificial. Sei lá.
    A capa do livro é interessante e só pelo fato de você ter dito que o enredo lembrou as obras de Shakespeare, isso já foi um ponto negativo para eu não fechar completamente os meus olhos para a obra.
    Espero um dia poder ter a oportunidade de ler esse livro.
    E parabéns pela resenha, Ana. Ela está muito boa e ficara melhor quando você mudar a estrutura dela futuramente. Quero ver como vai ficar. Bjs :*

    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, tudo bem?

    Não conhecia esse livro mas fiquei curiosa quanto a obra. Gosto muito de romances ambientados nessa época, e isso foi o suficiente para me deixar curiosa.

    Beijos

    Pah, Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  6. Eu amo romances de época, mas detesto romance espírita! Não consigo nem imaginar como misturaram os dois!
    É uma pena esse livro não ter sido grande coisa, pq histórias que se passam na Inglaterra do século XVIII tem tudo pra ser excelente! #Chateada :\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos duas chateadas, pensei que ia amar o livro e ele foi cansativo demais.
      Beijos e até mais.

      Excluir
    2. Somos duas que ficaram chateadas!
      A leitura se arrastou muito!
      Beijos e até mais.
      Obrigada!

      Excluir
  7. Nunca tinha ouvido falar deste livro, gostei muito da sinopse dele. A sua resenha está perfeita, só que não estou muito interessada nele.

    ResponderExcluir
  8. Que chato!
    Beijos e até mais.
    Obrigada!

    ResponderExcluir

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design