27 fevereiro 2017

Resenha: Quase um Romance - Megan Maxwell



Editora: Suma de Letras
Autor(a): Megan Maxwell
Título Original: Casi una novela 
Páginas: 230
Skoob  / Comprar


Desde a perda dos pais e o fim de um relacionamento complicado, Rebecca tem levado uma vida solitária. No entanto, quando esbarra em Pizza – uma cachorrinha abandonada que parece precisar tanto de afeto quanto ela –, a jovem pressente que sua vida está prestes a mudar. Paul Stone é campeão de Moto GP, e pai de Lorena, uma menina encantadora que ele cria sozinho. Administrar a carreira e a família não é um trabalho fácil, ainda mais quando as mulheres em seu redor parecem interessadas apenas no piloto famoso, e não no homem real. Quando os dois se esbarram – com uma ajudinha de Pizza e Lorena –, Paul tem certeza de que encontrou o que vinha procurando há muito tempo. Já Rebecca não está assim tão disposta a abrir espaço em sua vida para uma nova relação, mas como resistir à amizade, aos sorrisos e aos olhares de Paul?


“Quase um romance” é um livro único escrito pela autora Megan Maxwell, conhecida pela trilogia erótica “Peça-me o que quiser” publicado também pela Suma de Letras.
O livro é protagonizado por Rebecca, uma jovem espanhola, advogada bem sucedida que perdeu sua mãe, tem uma relação complicada com o pai, irmãos maravilhosos e um trauma de um último relacionamento fracassado. Até que em meio às compras de Natal, ela conhece Paul Stone e sua filha adorável, Lorena. Por mais que eles tentem se manter afastado, o destino os une em uma série de acasos.

“(...) preciso dizer que nem todos os homens são iguais. Existem bons e maus, melhores e piores, bonitos e feios, e é preciso conhece-los!”

Gostei do livro, mas esperava mais. Rebecca é muito pouco destemida, sem muito posicionamento, que dá uns ataques e que move uma série de idas e vindas. Senti falta de maturidade e de posicionamento. Paul é o típico mocinho desse tipo de romance:quente, másculo, ciumento, e o mais interessante foi ele ser um piloto de moto GP, embora ele e Rebecca entrem numa série de idas e vindas.

“Foi o dia que, sem saber, me apaixonei por você.”

Achei o livro rápido e bem tranquilo, não traz muita profundidade ,mas não se torna fútil. A autora explora o amor e o romance em suas várias formas, trazendo temas como violência e trafico de drogas.
Todos os personagens secundários foram muito interessantes e enriquecedores, nos fazendo acompanhar a vida de todos eles além dos personagens principais.
Um outro ponto negativo, além da falta de profundidade, foi o final acelerado onde autora resolveu todos os problemas em aberto em dez páginas e como vocês sabem, não suporto finais acelerados.


“Quase um romance” é um clichê que não traz diferenciais, leve, despretensioso, rápido, previsível, com alguns elementos interessantes e um romance que envolve todos os personagens.
20 fevereiro 2017

[Filme] Cinquenta Tons Mais Escuros

Título Original: Fifty Shades Darker
Diretor: James Foley
Atores Principais:Jamie Dornan( Christian Grey), Dakota Johnson(Anastasia Steele)
Ano: 2016
Classificação: 3,5/5 
Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.


“Cinquenta tons mais escuros” é a continuação do filme “ Cinquenta Tons de Cinza” que trará o famoso casal Anastasia Steele e Christian Grey. É imprescindível que vocês assistam o primeiro ou tenham lido o primeiro livro para entender este filme.
Como não posso citar a história sem dar muitos spoilers, vamos falar sobre o que gostei e não gostei do filme.  Os livros da trilogia “ Cinquenta Tons de Cinza” não são meus livros eróticos favoritos;acho a história fraca, escrita de forma bem medíocre e outros problemas que tenho com a construção dos personagens.
O primeiro filme foi fraco demais, senti falta de um Grey mais dominante, mais forte e único. A atriz foi a Anastasia que eu imagina e todas as cenas eróticas foram fracas e subentendidas, embora não esperasse um filme pornô, faltou sensualidade e sexualidade.
Neste filme, “ Cinquenta tons mais escuros” temos momentos de romance com muitos momentos de sexo. O filme trouxe mais nudez e ousadia, embora tenha ficado meio exagerado, já que no fim do filme você começa a ficar cansado de tantas cenas do tipo.
Como adaptação literária, muita coisa foi retirada, muita coisa foi mudada, e achei que todos os momentos que temos nesse livro de revelação e mescla de sentimentos ficaram em segundo plano.

O filme foi bem melhor que o primeiro, ao meu ver, porém faltou enredo como também sinto falta de enredo nos livros.Os atores estavam melhores nos personagens e principalmente o Jamie, que incorporou muito mais no personagem, porém assim como o primeiro livro, não temos vários pontos importantes sendo explorados como o masoquismo e o papel disso na vida do Grey.
Se você gosta da trilogia, gostou do primeiro filme, vale a pena ir ao cinema ou esperar chegar na sua casa para assistir. O último filme está previsto para fevereiro de 2018 e pretendo assistir para pelo menos ter minha própria visão crítica.
17 fevereiro 2017

Diário de uma blogueira nada fitness #1 - A iniciativa

Hoje o post não é sobre livros. Pelos próximos meses estarei dividindo com vocês o meu processo de emagrecimento e o que me moveu, as dificuldades, os resultados e tudo mais. Espero que gostem e que acompanhem comigo, e se você quiser também, quem sabe você se inspire.


Por que resolvi emagrecer?


Nunca fui magra e isso nunca me incomodou, porém, várias coisas me fizeram começar no dia 02/01/2017 o meu projeto de perder 20 quilos sem uma data limite. 
Tenho um histórico bem forte de diabetes tipo 2 na minha família, e embora minhas taxas de glicose sejam normais e até baixas, eu tenho que pensar que hoje tenho 20 anos, que sou jovem e não serei assim para sempre. Pretendo ter filhos e viver muitos anos, mas tenho que lutar desde já para ter uma boa saúde.
Além disso, vinha me sentindo cansada e sedentária demais. Desde que entrei na faculdade, três anos atrás, ganhei 20 quilos comendo muita besteira, fazendo nada de exercício físico, trabalhando pouco e dormindo pouco. Me sentia cansada, ofegante, sem condicionamento, preguiçosa e isso é ruim.
E tem, por último e menos importante, um fator estético. Não estava me sentindo bem com meu corpo, com a barriga, com tudo molengo. Queria voltar ao que eu era, não era magra, mas não tinha uma barriga enorme e nem era toda molenga.
Então era hora de mudar.

Alimentação

Eu resolvi que não iria radicalizar. Baixei o aplicativo do "Dieta e Saúde" e comecei uma dieta dos pontos, fazendo substituições saudáveis. Dei adeus ao refrigerante durante a semana, me mantendo com um copinho no fim de semana, dei adeus as frituras, massa em excesso. Apostei em saladas, frutas, chá de hibisco e chá verde. Carne e ovos. Gosto de comida saudável.
Depois de duas semanas, cortei carboidrato após as 19 e não como arroz com feijão no jantar e tenho evitado o pão.
Toda semana, tenho uma refeição de lixo mas moderado. Comi uma fatia de pizza, um hamburguer artesanal, fui numa churrascaria.
Meu foco é criar novos hábitos e poder mantê-los depois que emagrecer tudo que desejo. Esse primeiro mês me fez ver que eu posso comer tudo que amo, desde que tenha equilibrio e transforme as besteiras que amamos em coisinhas de fim de semana e não rotina.

Exercícios


Eu gosto de me exercitar então comecei a fazer academia. Faço no mínimo três vezes por semana, já que as vezes tenho um compromisso ou fico dolorida do dia anterior. Faço Jump, Localizada, Musculação, Ergometria, Zumba e Hiit. To fazendo várias atividades que trabalham todo o corpo e que não se torna repetitivo e cansativo. 

Resultados


Comecei dia 02/01 e até agora foram 4,2 quilos e estou muito feliz. Sinto minhas roupas mais folgadas, sinto mais disposição e energia, meu condicionamento melhorou e estou dormindo melhor, além de sentir meu corpo menos molengo. Tenho muito chão pela frente, mas estou focada e animada.

Me contem se quiserem saber de alguma coisa especifica, que eu conto no próximo post. Obrigada por me deixarem dividir isso com vocês!
15 fevereiro 2017

Resenha: Paixão ao Entardecer - Lisa Kleypas

Editora: Arqueiro
Autor(a): Lisa Kleypas
Título Original: Love in the afternoon 
Série: Os Hathaways - Livro 5
Páginas: 272
Skoob  / Comprar


Mesmo sendo uma família nada tradicional, quase todos os irmãos Hathaways se casaram, até mesmo Leo, que era o mais avesso a essa ideia. Mas para a caçula Beatrix, parece não haver mais esperança. Dona de um espírito livre, apaixonada por animais e pela natureza, Beatrix se sente muito mais à vontade ao ar livre do que em salões de baile. E, embora já tenha frequentado as temporadas londrinas e até feito algum sucesso entre os rapazes, nunca foi seriamente cortejada, tampouco se encantou por nenhum deles. Mas tudo isso pode mudar quando ela se oferece para ajudar uma amiga. A superficial Prudence recebe uma carta de seu pretendente, o capitão Christopher Phelan, que está na frente de batalha. Mas parece que a guerra teve um forte efeito sobre ele, e seu espírito, antes muito vivaz, se tornou bastante denso e sombrio. Prudence não tem a menor intenção de responder, mas Beatrix acha que ele merece uma palavra de apoio mesmo depois de tê-la chamado de estranha e dito que a jovem é mais adequada aos estábulos do que aos salões. Então começa a escrever para ele e assina com o nome da amiga. Beatrix só não imaginava o poder que as palavras trocadas teriam sobre eles. De volta como um aclamado herói de guerra, Phelan está determinado a se casar com a mulher que ama. Mas antes disso vai ter que descobrir quem ela é.




Sabe aquele romance, que por ser o último, com uma personagem que você se identifica e nutre certo sentimento, você coloca suas expectativas lá no topo? Ficava pensando qual seria o par ideal para Beatrix, uma menina tão doce, perspicaz e que é tão ligada aos animais e a natureza e nada ligada as normas e condutas sociais. E a minha felicidade é dizer que Lisa Kleypas novamente não me decepcionou.
Beatrix é bem tímida, diferente, não entende a forma que a sociedade raciocina e se relaciona, sendo assim, ela não tem muitas amizades e muito menos pretendentes, além dela ter a certeza de que só se casará por amor. Até que sua amiga, Penélope começa a receber um interesse do capitão Christopher, e não pretende nutrir o interesse do rapaz e nem responder suas cartas, mesmo ele estando sozinho numa guerra. Beatrix resolve que aquele nobre homem, que luta pelo seu país, merece uma dose de conforto e belas palavras, resolvendo assim responder as cartas assinando no lugar de sua amiga. O que acontecerá quando a mulher que o capitão Christopher se apaixonou pelas palavras e energia, não é aquela que ele imaginou?
14 fevereiro 2017

Resenha: A Sétima Cela - Kerry Drewery

Editora: Astral Cultural
Autor(a): Kerry Drewery
Título Original: Cell 7
Série: A Cela - Livro 1
Páginas: 313
Skoob  / Comprar
Livro cedido em parceria com a Editora Astral Cultural


Martha Heneydew é a primeira adolescente a ser presa e condenada no novo sistema de justiça da Inglaterra. A polícia a encontrou ao lado do corpo de Jackson Paige, filantropo, milionário e uma das celebridades mais queridas do país. Nesse novo sistema de justiça, o condenado tem sete dias ¿ cada dia em uma cela diferente ¿ para ter seu destino determinado pelos votos dos telespectadores. Se a audiência do programa de TV Morte é Justiça decidir pela inocência do preso, ele será solto. Caso contrário, será morto na cadeira elétrica. Porém, algumas peças não se encaixam na história que Martha conta para a justiça. Ela se declara culpada, mas há algo por trás da cena do crime que os telespectadores ainda não sabem. Com a ajuda da consultora psicológica, Eve Stanton, de um juiz do antigo sistema jurídico, Cícero, e do seu grande amor, os sete dias que precedem sua execução serão de muita intensidade, sofrimento, descobertas inesperadas e reviravoltas de perder o fôlego. Quem é, de verdade, Jackson Paige? Martha Heneydew é realmente culpada? Será que esse sistema jurídico é justo? Nesta distopia eletrizante, todas essas questões nos fazem refletir sobre o poder do dinheiro que, muitas vezes, prevalece sobre a justiça. E Martha, uma adolescente forte e destemida, mostra sua crença em uma sociedade verdadeiramente justa, na força da amizade e do amor. Mesmo que isso possa significar sua própria vida.


“ A Sétima Cela” é o mais recente lançamento da Austral Cultural, escrito por Kerry Drewery . É o primeiro livro de uma trilogia distópica que se passa num país que foi reorganizado socialmente e suas leis. Temos as Avenidas e Galerias, onde moram os que possuem condições financeiras mais favorecidas e temos os Arranha-Ceús onde vivem os excluídos e exilados da sociedade.
O livro começa quando Martha se declara a assassina de Jackson Paige, uma grande figura pública que fazia diversas caridades. Por ser culpada de um assassinato, ela passará sete dias em sete celas distintas, tendo o seu futuro decidido através de votos pagos que a sociedade compra, e baseado em um programa que vai ao ar todas as noite chamado “Olho por Olho” que te ajudará – ou manipulará – para votar pela inocência ou culpa, e decidirá se a pessoa irá ou não para a cadeira elétrica.
“Não existe justiça de verdade.Tudo é feito com manipulação e mentiras.”
Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design